09 outubro 2009

"Santo Sudário: um dos maiores simbolos católicos pode ser uma farsa"

 

Cientistas italianos afirmaram nesta segunda-feira ter reproduzido o Santo Sudário. Segundo Luigi Garlaschelli, professor de Química Orgânica da Universidade de Pavia e responsável pela recriação do manto que teria envolvido o corpo de Jesus Cristo, o feito pode ser considerado uma prova de que o Sudário é uma farsa.
“Mostramos que é possível reproduzir algo que tem as mesmas características do Sudário”, disse Garlaschelli.
O manto, considerado pelos católicos um símbolo do sofrimento de Jesus, tem a imagem de um homem crucificado, com rastros do que seria sangue escorrendo de feridas nas mãos e nos pés. As imagens teriam sido gravadas nas fibras por algum meio sobrenatural, durante a ressurreição de Cristo.
Garlaschelli explicou ao jornal italiano La Repubblica que sua equipe usou linho tecido com as mesmas técnicas utilizadas no sudário e envelhecido artificialmente por aquecimento em um forno. Os cientistas, então, colocaram o pano sobre um estudante que usava uma máscara para reproduzir o rosto, e esfregam o tecido com um pigmento vermelho muito usado na Idade Média. O processo consumiu uma semana, disse o jornal.
O Santo Sudário apareceu ao mundo em 1360, nas mãos de um cavaleiro francês. Ele se tornou propriedade do Vaticano, que o guarda câmara especial da Catedral de Turim. O manto raramente é exibido ao público. A última apresentação foi no ano 2000, quando atraiu mais de 1 milhão de visitantes. A próxima está prevista para 2010.
O grupo afirma, em nota, que se trata de mais uma evidência de que o sudário é uma falsificação produzida na Idade Média. Em 1988, pesquisadores usaram datação por radiocarbono para determinar que a relíquia havia sido produzida no século XIII ou XIV e não na época de Jesus como deveria ser.

Nenhum comentário:

Postar um comentário