02 maio 2008

Reflexão - Um Coração Sempre Agradecido

"E sabemos que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que sãochamadossegundooseu propósito" (Romanos 8:28).


"Porque Deus permitiu que você ficasse cego?"
perguntaram-me muitos amigos. Eles não entendiam o que estava acontecendo e lembravam que desde que deixei o meu trabalho secular, jamais havia me afastado um dia sequer da obra que Deus me confiou. E tudo aconteceu no momento em que estava mais empolgado com o meu ministério. Acabara de retornar de um curso de pós-graduação em Cingapura. Estava cheio de entusiasmo, com muitos projetos a desenvolver. A experiência transcultural, com pessoas diferentes,demais de 40 países, me fazia sonhar comum trabalho ainda mais eficiente e vitorioso. Mas nem cheguei a começá-lo...E voltava a pergunta:"Porque Deus havia permitido tal coisa?"

Nosso Pai sabe o que é melhor para nós. Porque deveríamos reclamar? Gostaríamos que o sol brilhasse todos os dias, mas Deus sabe que a chuva é necessária. Como seria agradável ouvir sempre pessoas sorrindo em meio a manifestações ruidosas de alegria, mas nossa audição perderia a ternura se nunca derramássemos uma lágrima. Com sofrimento e com pesar Ele nos testa, não para nos punir, mas para preparar-nos para o amanhã.
Quando as tempestades castigam uma árvore em crescimento, elas, em sua resistência, acabam fortalecidas. Deus não nos fere inutilmente e nem permite que a nossa dor seja em vão.
Se sofremos uma perda qualquer, logo os ganhos são multiplicados. Ao contarmos as bênçãos recebidas, não encontraremos motivo algum para queixas ou lamentos.Nosso Pai ama Seus filhos e, como todas as coisas lhe são conhecidas, não enviará prazer quando a necessidade profunda da alma é a dor. Se enfrentam os problemas e as circunstâncias parecem indicar que tudo está errado para nós, temos a certeza de que o Deus justo está trabalhando para que o nosso espírito seja fortalecido.

Tudo que Deus tem para você é bom. Agradeça-lhe sempre.

Paulo Barbosa
Um cego na Internet

Nenhum comentário:

Postar um comentário