30 dezembro 2012

O que é o Natal

O que é o Natal?
Há quem diga que o Natal, a história que conta e celebra o nascimento de Jesus, no dia 25 de dezembro, na verdade é a mistura de várias outras histórias e mitologias de alguns deuses pagãos da antiguidade. Entre estes ilustres personagens que emprestaram suas histórias figurariam, principalmente, Horus (egípcios), Mitra e Attis (persas e romanos) e até mesmo Krishna (hindus) que, segundo as fontes históricas dos seus povos de origem, bem antes da história do Jesus dos cristãos, teriam nascido no dia 25 de dezembro, também através de uma virgem. Coincidência?

18 setembro 2012

O Caminho da benção

Graça e paz, Há algum tempo atrás levei uma palavra ao culto da Tarde da bênção de minha igreja. A seguir coloco o esboço que utilizei.
 
O CAMINHO DA BÊNÇÃO

I Samuel 1 - Ler versos 2,6,7,9,11,12,13,14
Propósito Geral: Encorajamento.
Elcana tinha 2 mulheres: Ana (esteril) e Penina (rival)

Tema Específico: Como alcançar a bênção.

Introdução ao assunto:

O Senhor Nosso Deus é Criador e Criativo. Em Sua Palavra encontramos exemplos desta criatividade, especialmente quanto às bênçãos e aos milagres. Se olharmos alguns dos milagres de Jesus, podemos confirmar o que estou dizendo:

17 agosto 2012

Somos Justificados pela Fé (Romanos) ou pelas Obras (Tiago)?

              
Somos Justificados pela Fé (Romanos) ou pelas Obras (Tiago)?

Em Romanos é dito: visto que ninguém será justificado diante dele por obras da lei… (3:20), Concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé, independentemente das obras da lei (3:28), Pois que diz a Escritura? Abraão creu em Deus, e isso lhe foi imputado para justiça (4:3), e Justificados, pois, mediante a fé (5:1). Mas, ao que não trabalha, porém crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é atribuída como justiça (4:5).
Em Tiago é dito: Verificais que uma pessoa é justificada por obras e não por fé somente (2:24), e … assim também a fé sem obras é morta (2:26).
Qual vale? Somos justificados pela fé ou pelas obras?

Será que a Bíblia se contradiz?

Uma crença fundamental dos Cristãos é a de que somos justificados pela fé. Justificação significa que Deus declara um pecador como sendo justo. Ele faz isso ao dar crédito, ao atribuir a retidão de Jesus ao pecador. Isso é feito pela fé. Isto é, quando o pecador põe sua fé no sacrifício de Jesus e confia nele e não em si mesmo pela retidão, então Deus o justifica: Abraão creu em Deus, e isso lhe foi imputado para justiça (Romanos 4:3). Mas e se a Bíblia ensina que somos justificados pela fé, será que ela também ensina que somos justificados pelas obras como Tiago parece querer dizer? Temos uma contradição? A resposta é não.

O contexto é tudo

É errado pegar um versículo, lê-lo fora de contexto, e tentar desenvolver uma doutrina somente a partir dele. Portanto, vamos dar uma olhada no contexto de Tiago 2:24, que diz que um homem é justificado pelas obras. O capítulo 2 da carta de Tiago tem 26 versículos: Os de 1-7 nos ensinam a não mostrar favoritismo, 8-13 são comentários sobre a Lei, e 14-26 são sobre a relação entre a fé e as obras.
Para simplificar, sumarizei cada versículo e organizei a seção:
14 – Qual é o proveito, se alguém disser que tem fé, mas não tiver obras?
15 – Se você ver algum necessitado,
16 – E qualquer dentre vós lhes disser: Ide em paz, aquecei-vos e fartai-vos, sem, contudo, lhes dar o necessário para o corpo, qual é o proveito disso?
17 – Assim, também a fé, se não tiver obras, por si só está morta.
18 – Mas alguém dirá: eu, com as obras, te mostrarei a minha fé.
19 – Crês, tu, que Deus é um só? Fazes bem. Até os demônios crêem e tremem.
20 – A fé sem as obras é inoperante.
21 – Não foi por obras que Abraão, o nosso pai, foi justificado, quando ofereceu sobre o altar o próprio filho, Isaque?
22 – Vês como a fé operava juntamente com as suas obras; com efeito, foi pelas obras que a fé se consumou,
23 – E se cumpriu a Escritura, a qual diz: Ora, Abraão creu em Deus, e isso lhe foi imputado para justiça.
24 – Verificais que uma pessoa é justificada por obras e não por fé somente.
25 – Raabe foi justificada pelas obras.
26 – A fé sem obras é morta.
Note que Tiago começa essa seção usando o exemplo de alguém que diz que tem fé, v. 14. Então ele começa com a negativa e demonstra o que é uma fé vazia vv. 15-17. Depois ele mostra que esse tipo de fé não é muito diferente da fé dos demônios v. 19. E finalmente, ele dá exemplos da fé viva ao mostrar Abraão e Raabe como exemplos de pessoas que demonstraram sua fé pelas suas ações.
Tiago está examinando dois tipos de fé: Uma que leva às obras para Deus e outra que não. Uma é verdadeira e a outra é falsa. Uma é morta e a outra é viva; daí: A fé sem obras é morta (Tiago 2:26).
Esta é a razão pela qual no meio da seção sobre fé e obras ele dizer no versículo 19: Crês, tu, que Deus é um só? Fazes bem. Até os demônios crêem e tremem. Tiago diz isso, pois os demônios crêem em Deus, ou seja, eles têm fé, mas a fé deles é inútil. Ela não resulta em obras adequadas. A fé deles é somente um reconhecimento mental da existência de Deus.
Ascentia e Fiducia
É necessário introduzir duas palavras aqui: Ascentia e fiducia. Ascentia é a ascensão mental, o reconhecimento mental da existência de algo. Os demônios reconhecem e crêem que Deus existe. Fiducia (ou fidúcia) é mais do que mero reconhecimento, envolve a confiança em algo, entregar-se a algo, uma completa crença e aceitação de algo. Este é o tipo de fé que um Cristão tem em Cristo. Um Cristão, portanto, tem fidúcia; ou seja, ele tem a fé verdadeira e real em Cristo, e não o simples reconhecimento de que ele viveu aqui na Terra. Outra forma de explicar isso é que muitas pessoas criam que Jesus viveu: Ascentia. Mas eles não criam que ele era seu Salvador, aquele a ser buscado e confiado para que obtivessem o perdão pelos seus pecados.
A ascentia não leva às obras, a fidúcia leva. A ascentia não vem do coração, a fidúcia vem.

E o que Tiago está dizendo?

Tiago está dizendo que se você é um Cristão, então é melhor que você manifeste algum tipo de obra adequada, caso contrário, sua fé é falsa. Esta opinião é repetida em 1 João 2:4: Aquele que diz: Eu o conheço e não guarda os seus mandamentos é mentiroso, e nele não está a verdade.
Aparentemente, havia pessoas que estavam dizendo ser Cristãs, mas não estavam manifestando os frutos do Cristianismo. Essa fé justifica? Será que a “fé” morta, que não produz mudanças em uma pessoa e nenhuma boa obra perante os homens e Deus é uma fé que justifica? Absolutamente não. Dizer que crê em Jesus não é o bastante. Você deve realmente crer e confiar nele. Se realmente o fizer, então demonstrará essa fé em uma vida transformada e para Deus. Se não, sua declaração tem o mesmo valor da dos demônios: “Nós cremos que Jesus viveu”.
Note que Tiago na verdade cita o mesmo versículo que Paulo usa para apoiar o ensino da justificação pela fé em Romanos 4:3. Tiago 2:23 diz: e se cumpriu a Escritura, a qual diz: Ora, Abraão creu em Deus, e isso lhe foi imputado para justiça. Se Tiago estivesse tentando ensinar uma doutrina de fé e obras contradizendo os outros autores do Novo Testamento, ele não teria utilizado Abraão como exemplo.
Portanto, somos justificados pela fé. Ou seja, somos feitos justos aos olhos de Deus pela fé, como amplamente demonstrado em Romanos. Porém, esta fé, se verdadeira, irá resultar em atos apropriados para a salvação. Afinal de contas, Deus disse em Efésios 2:8-10: Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie. Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas.

01 julho 2012

Servindo de Modelo



"Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele tudo fará" (Salmos 37:5).


"Cuide de seus pensamentos; eles se transformarão em palavras. Cuide de suas palavras; elas poderão se transformar em ações. Cuide de suas ações; elas poderão criar hábitos. Cuide de seus hábitos; eles mostrarão o seu caráter. Cuide de seu caráter; ele guiará você a seu destino."

Nunca se esqueça de que sua vida é observada. Muitos sofrerão influência de suas atitudes.Alguns aprenderão a amar ao ver o seu amor e alguns se fecharão em mágoas e rancores se for essa a sua maneira de viver. Alguns estarão cantando em suas janelas se você, ao passar pela rua estiver sorrindo e alguns trarão em seus semblantes a mesma tristeza que caracteriza a sua existência.


Quando o nosso coração vive remoendo pensamentos negativos e desesperançosos, a nossa boca só sabe proferir queixas e murmurações, achamos que tudo e todos estão errados, que não vale a pena lutar, que não há solução para os problemas, que o melhor é apertar a campainha da vida e pedir para sair. Não conseguimos ver o sol que ainda brilha, as flores que continuam perfumando os jardins, os pássaros cantando em orquestras afinadíssimas. Só percebemos os raios e trovões de esporádicas tempestades.

Quando cuidamos de nossas vidas, colocando-as no altar de Deus, nossos pensamentos são transformados, nossas atitudes iluminam os ambientes, nossas palavras enchem de gozo os corações mais abatidos. Se Cristo governa nossas vidas, as queixas dão lugar a cânticos de louvor e adoração, as murmurações são trocadas por braços levantados e profunda gratidão ao Salvador que por nós se entregou na cruz.

Se você continua indiferente aos que lhe observam, se seus amigos não podem encontrar nada de bom em sua maneira de viver, peça a Deus que lhe transforme, pois, não apenas seus amigos ficarão satisfeitos, você viverá muito melhor.

Paulo Barbosa

10 maio 2012

O melhor ginecologista

 Uma mulher chega apavorada  no consultório de seu ginecologista e diz:

- Doutor, o senhor terá  que me ajudar num problema muito sério. Este  meu bebê ainda não  completou um ano e já estou grávida novamente. Não quero filhos em  tão curto espaço de tempo, mas num espaço grande entre um e outro...

 O médico então perguntou:

- Muito bem. O que a senhora quer que eu  faça?

A mulher respondeu:

 - Desejo interromper esta gravidez e conto com a sua ajuda.

O médico  então pensou um pouco e depois de algum tempo em silêncio disse para  a mulher:

- Acho que tenho um método melhor para solucionar o problema.  E é menos perigoso para a senhora.

A mulher sorriu, acreditando que o  médico aceitaria seu pedido.

Ele então completou:

- Veja bem minha  senhora, para não ter que ficar com dois bebês de uma vez, em tão  curto espaço de tempo, vamos matar este que está em seus braços. Assim, a senhora poderá descansar para ter o outro, terá um período de descanso até o outro nascer. Se vamos matar, não há diferença entre um e outro. Até porque sacrificar este que a senhora tem nos braços é mais fácil, pois a senhora não correrá nenhum risco...

A  mulher apavorou-se e disse:

- Não doutor! Que horror! Matar um criança  é um crime.

- Também acho minha senhora, mas me pareceu tão convencida  disso, que  por um momento pensei em ajudá-la.

O médico  sorriu e, depois de algumas considerações, viu que a sua lição  surtira efeito. Convenceu a mãe que não há menor diferença entre  matar a criança que nasceu e matar uma ainda por nascer, mas já viva  no seio materno.

 O CRIME É EXATAMENTE O MESMO!!!!!

14 fevereiro 2012

Criando um Leopardo

Titulo Original: 100% Puro: Vitória Sobre Tentação
de Dennis Downing

Havia uma vez um homem que tinha como animal de estimação um leopardo. Um dia o leopardo estava lambendo a mão de seu mestre quando um dos seus dentes raspou aquela mão. De repente, o leopardo saboreando o gosto de sangue virou e atacou seu mestre. O animal de estimação matou seu dono. Você talvez não iria ser tão insensato de criar um animal silvestre tão perigoso quanto um leopardo. Mas, você pode estar criando algo mais perigoso ainda se você alimenta hábitos ou amizades ou contatos com pessoas ou situações que podem acabar com sua vida espiritual. Você está criando um animal de estimação perigoso?

Os Provérbios do Diabo

Nosso adversário, o diabo, é muito esperto. Ele sabe apelar também para nosso desejo de ser esperto e inteligente. Às vezes queremos ser inteligentes e aproveitar ao máximo as oportunidades que temos. Mas, creio que às vezes nosso inimigo coloca pensamentos nas nossas cabeças que podem nos levar a uma grande queda. Pelo menos, ele deve ficar contente quando nos vê pensando assim. Em seguida vou relatar alguns “provérbios do diabo” que tenho observado. São pensamentos que, quando seguidos, podem nos levam a pecar.

1. “O pasto está sempre mais verde do outro lado da cerca.”

Já notou que o namorado daquela moça popular na escola sempre parece mais bonito, e charmoso que o seu? Talvez é a roupa dela, o cabelo dela, ou o fato que os pais dela tem mais dinheiro que os seus.
Já olhou para algum amigo e pensou “Poxa, se eu tivesse um carro como ele…” “Se eu tivesse um computador, se eu tivesse um bom emprego, se eu tivesse ….” Sempre parece que há algo melhor, maior, mais bonito, mais desejável com a outra pessoa.

Prov 27:20 “O inferno e o abismo nunca se fartam, e os olhos do homem nunca se satisfazem.”

De certa forma o que estamos dizendo a Deus com isso é “Eu não estou satisfeito com aquilo que o Senhor me deu. O Senhor errou na medida. Eu mereço melhor.” Com isso o inimigo começa a ganhar espaço para trabalhar nas nossas mentes e nas nossas vidas. 
Solução: Agradecer a Deus por tudo que você tem.

2. “Deus vai me impedir de pecar.”

Você já brincou um jogo sobre a tentação? Ele vai da seguinte forma: Você está enfrentando uma tentação. Então, você pense para si mesmo “Se Deus não quiser que eu faça isso, então ele vai me parar.” Eu já vi gente que orava algo assim “O, Senhor, se eu realmente não devo ir para aquela festa ou sair com tal rapaz, então impeça ele de chegar aqui ou me faça parar no caminho.” A Bíblia não diz que Deus sempre vai provar uma força para resistir?

1 Cor 10:13 “Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar.”

É verdade que a Bíblia nos prometa livramento, uma saída para não pecar. Mas, muitas vezes enfrentamos a tentação e nada acontece. Caímos e pecamos como se Deus não tivesse nos ajudando. Parece que Deus não respondeu a seu pedido. Será então que Deus permitiu?
Na hora em que José foi tentado pela mulher de Potifar (Gen 39:6-20) ele recebeu alguma visão ou revelação que o ajudasse a resistir? Quando Daniel foi ameaçado com a morte se continuasse orando para Deus, ele recebeu alguma ajuda especial?
Como foi então que estes homens resistiram? De onde veio o livramento? José resistiu a tentação porque ele já havia decidido não pecar contra Deus. Daniel continuou fiel a Deus porque já havia decidido que sua confiança era em Deus.
Geralmente pensamos que o livramento vem na hora da tentação, como se Deus fosse mandar um anjo para nos obrigar a parar de ir àquela festa. Mas a hora do livramento de Deus vem bem antes.

Efé 6:13 “Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, depois de terdes vencido tudo, permanecer inabaláveis.”

Paulo nos chama a colocar toda a armadura de Deus antes de chegar a tentação. Note que ele não diz, quando chegar a tentação, corra para calçar seus pés com o Evangelho. Quando é a hora do livramento de Deus? É hoje.
Solução: Se preparar agora. Se fortalecer hoje contra o inimigo. A hora de colocar a armadura que nos ajudará a resistir a tentação é agora, antes da tentação.

3. “É só uma vez.”

A primeira vez pode ser também a última para sua condenação.
Quantas vezes Davi cometeu adultério? - uma
O adultério de Davi, uma só vez, levou às seguintes conseqüências:
- uma outra pessoa foi levada a pecar - Bate Seba
- o marido dela, Urias, foi assassinado
- a morte do filho de Davi, o filho de Bate Seba
- a briga entre os filhos de Davi sobre uma mulher
- a morte de dois dos filhos de Davi
- o povo de Deus ficou dividido entre Absalão e Davi
Tudo isso veio como resultado de apenas um pecado.
Sua primeira vez com alguns pecados pode ser sua última:
1. É com a primeira vez que você transar com alguém que perde para sempre sua virgindade.
2. É com uma única vez de ter relações sexuais que você pega a AIDS ou outras doenças sexualmente transmissíveis.
3. É com o primeira copo de bebida que o alcoólatra começa sua queda para o vício. Não foi o último copo que o destruiu, mas o primeiro. 

Solução: Fugir

Um dos primeiros passos que precisamos tomar é de fugir daquilo que nos tenta. Há várias tentações na Bíblia e em alguns casos somos exortados a resistir. Paulo aconselha os irmãos em Éfeso a ficarem firmes contra “as ciladas do diabo.” (Efé 6:11). Tiago e Pedro aconselham os irmãos a resistirem o diabo (Tiago 4:7; 1 Pedro 5:9). Há situações em que não tem saída. Se um Cristão está sendo ameaçado pelo governo por pregar o Evangelho, ele não tem como fugir. Ele tem que ficar firme, resistir e pregar.
Mas, há outras situações em que nós podemos nos proteger. O conselho de Paulo é um só “Fugi da impureza.” (1 Cor 6:18 “porneia”) ele diz para os Cristão em Corinto.
Há situações em que o melhor é simplesmente sair correndo. Para o jovem Timóteo, Paulo aconselha que ele também foge das paixões 2 Timóteo 2:22 “Foge, outrossim, das paixões da mocidade. Segue a justiça, a fé, o amor e a paz com os que, de coração puro, invocam o Senhor.”

Chaves Para a Vitória
Uma das chaves para resistir a tentação é cuidando do olho e não olhando coisas que provocam pensamentos pecaminosos. A Bíblia fala do poder do olho. Sl 101:3 “Não porei coisa injusta diante dos meus olhos; aborreço o proceder dos que se desviam; nada disto se me pegará.” 

Pr 17:24 “A sabedoria é o alvo do inteligente, mas os olhos do insensato vagam pelas extremidades da terra.” 

Pr 27:20 “O inferno e o abismo nunca se fartam, e os olhos do homem nunca se satisfazem.” 

Ec 1:8 “Todas as coisas são canseiras tais, que ninguém as pode exprimir; os olhos não se fartam de ver, nem se enchem os ouvidos de ouvir.” 

Ec 6:7 “Todo trabalho do homem é para a sua boca; e, contudo, nunca se satisfaz o seu apetite.” 

Mat 5:29 “Se o teu olho direito te faz tropeçar, arranca-o e lança-o de ti; pois te convém que se perca um dos teus membros, e não seja todo o teu corpo lançado no inferno.” 

Mat 6:22-23 “São os olhos a lâmpada do corpo. Se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo será luminoso; se, porém, os teus olhos forem maus, todo o teu corpo estará em trevas. Portanto, caso a luz que em ti há sejam trevas, que grandes trevas serão!”

A melhor arma contra a tentação? Agradecimento a Deus.
Sabe a pessoa mais difícil de se tentar? - Aquela que está satisfeita. Alguém disse: “Há duas maneiras de ser rico - possuir cada vez mais, ou ficar satisfeito com aquilo que você tem.” A pessoa satisfeita, contente com tudo que Deus já deu, é um alvo duro para o inimigo.
Outra arma poderosa contra a tentação é de encher nossas mentes com a Palavra de Deus. Decorando versículos e mantendo um tempo de leitura e estudo na Bíblia diariamente ajudam a manter os nosso pensamentos nas coisas lá do alto. Para quem acessa a Internet regularmente, um devocional diário como nosso “Jesus disse…” pode ajudar bastante. Este devocional traz a cada dia palavras do próprio Senhor junto com uma reflexão e uma oração para manter nossas mentes puras e focalizadas em Jesus. A assinatura do devocional, como todo material do site da Hermenêutica, é gratuita.
Mas, se cairmos? O que podemos fazer?
Às vezes caímos na tentação. Pecamos. Aí, ficamos desanimados. Ficamos frustrados conosco mesmo.
Às vezes até dá vontade de desistir. Podemos até sentir como hipócritas. Uma das mentiras mais devastadoras do inimigo é esta - “Você não consegue.” “Você não presta.” Quem diz isso não é Deus, é seu inimigo. Porque Deus espera você voltar para Ele. A solução? - Se levantar de novo.

Prov 24:16 “ porque sete vezes cairá o justo e se levantará; mas os perversos são derrubados pela calamidade.”

30 janeiro 2012

O triste caso de Judas




Créditos desta postagem: http://esbocosdesermoes.blogspot.com/2012/01/o-triste-caso-de-judas-introducao.html

Introdução:

- Ninguém quer levar o nome de Judas Iscariotes.

- Os nomes dos demais apóstolos tem sido copiados por muitos, porém o de Judas até hoje não conheço uma pessoa com o nome de Judas Iscariotes, este nome permanece só e triste através dos séculos.

- Por que? Porque está manchado com o estigma da traição. E em vez de recriminação, o discípulo traidor é digno de pena. Nós sem levarmos o nome dele, temos caído contudo no mesmo erro.

- Judas, pois, deve servir-nos de uma grande admoestação.

27 janeiro 2012

Com Cristo venceremos sempre


"Ao que disse Simão: Mestre, trabalhamos a noite toda, e nada apanhamos; mas, sobre tua palavra, lançarei as redes. Feito isto, apanharam uma grande quantidade de peixes, de modo que as redes se rompiam" (Lucas 5:5, 6).

Uma senhora, já bem idosa, ouviu de um jovem rapaz: "Eu estou cansado de lutar. Tenho me esforçado muito para mudar a situação mas o mesmo acontece sempre -- eu acabo perdendo a batalha. Acho que devo desistir". "Não sei se você se lembra", disse ela sorrindo para o jovem com o semblante derrotado, "o Senhor mandou aquele pescador desanimado lançar novamente as suas redes no mesmo lugar onde ele havia pescado a noite inteira sem apanhar nada."



Como tem andado o nosso estoque de fé e perseverança? Ele anda em baixa ou continua guardando o combustível de nossa esperança? Temos deixado que as lutas da vida abalem a nossa resistência ou nos mantemos firmes e certos de que nada poderá impedir nossas vitórias?

Muitas vezes, como Pedro e os demais pescadores que experimentaram o insucesso naquela noite, pensamos em desistir de novas tentativas. Achamos que os nossos sonhos não poderão ser alcançados. Abaixamos a cabeça e nos conformamos com o fracasso. Mas o Senhor não conhece a palavra "derrota" e nos diz apenas uma coisa: "Vai e tente novamente". Já o fizemos e não conseguimos, mas agora é diferente! O Senhor nos mandou... Ele garante que desta vez não seremos derrotados! Glória a Deus por isso!

Uma coisa é seguir uma estrada sozinhos e outra é seguir a mesma estrada ao lado de Deus. Uma coisa é tentar uma conquista por nossa própria força e outra é buscá-la na força do Senhor. Quando confio em mim mesmo poderei encontrar fracassos, mas quando confio no Senhor o resultado não poderá ser outro que não a vitória.

Não desista nunca.

18 janeiro 2012

Abuso do nome do Senhor

Introdução

- O modo como usamos o nome de uma pessoa revela o que pensamos a respeito dela e o modo como usamos o nome de Deus é um dos mais claros reflexos de sua reputação em nossa cultura.

“Não tomarás em vão o nome do SENHOR, o teu Deus, pois o SENHOR não deixará impune quem tomar o seu nome em vão.”(Êxodo 20.7)

- Falar o nome de Deus em vão é uma prática que rouba as pessoas das bênçãos completas de Deus em suas vidas, e entristece o Espírito Santo. E se torna mais assustador ainda porque é cometido diariamente, geralmente várias vezes no mesmo dia.

Veja o significado do nome Jesus no dicionário:

Jesus: (vulg.) Exclamação. Surpresa, impaciência etc. [2] Nome do fundador da religião cristã em 30d.C.

- O dicionário registra como primeiro uso do nome Jesus o sentido vulgar do termo, uma exclamação que expressa surpresa e impaciência.

- Tomar o nome do Senhor em vão significa: usar o nome de Deus desnecessariamente, gratuitamente, sem razão. E é o que o cristão mais faz na atualidade.

Veja:

- Nosso Deus, eu não acredito no que o governo fez!
- Pelo amor de Deus, pára de gritar, meu filho!
- Nosso Deus do céu, eu não pago este valor, de jeito nenhum!
- Jesus Cristo, mas hoje está muito quente mesmo, né?
- Meu Deus, isso doeu demais!

Atualmente o nome de Deus é usado de várias formas. Vejamos:

I. Afirmações distorcidas

04 janeiro 2012

Estacas Imaginárias


A minha alma está apegada ao pó; vivifica-me segundo a Tua Palavra. Sal. 119:25.

Você já viu um elefante de várias toneladas amarrado a uma estaca tão pequena que até uma criança poderia arrancar? Por estranho que pareça, esse quadro tem uma explicação. Os elefantes têm uma memória prodigiosa, mas não são muito inteligentes. Quando pequenos e ainda sem muita força, são amarrados a estacas. Os filhotes se esforçam por libertar-se. Tentam inutilmente uma e outra vez, até que chegam à conclusão de que é impossível fugir. Nesse ponto, entra em ação a prodigiosa memória, e eles se lembrarão pelo resto da vida de que não podem arrancar a estaca.
A mesma coisa acontece com o ser humano. Quando é pequeno, alguém diz: “Você não presta”, ou “você vive só para criar problemas”, e pronto. Uma pequena estaca é colocada no inconsciente e, mesmo quando os anos passam, fica amarrado a estacas imaginárias que o impedem de alcançar os ideais elevados para os quais foi criado.
O texto de hoje afirma: “A minha alma está apegada ao pó.” Por alguma razão, o salmista também carregava na sua vida “estacas” imaginárias que não o deixavam ser feliz. Esforçava-se, lutava, mas os complexos interiores eram mais fortes que suas decisões conscientes. Até que um dia clamou ao Senhor: “Vivifica-me com a Tua palavra.” E, nesse instante, começou a nascer um novo dia em sua derrotada experiência.
Faça uma revisão de sua vida hoje, antes de sair para a luta diária. Existe alguma “estaca” que não o deixa ser feliz? Esse complexo, trauma, ou como você queira chamá-lo, está destruindo sua vida profissional, seu casamento, ou a vida dos seus filhos?
Se a Palavra de Deus teve poder para criar a vida quando nada existia, se ela teve poder para recriar tudo que o inimigo tinha destruído, com toda certeza tem também poder para restaurar você de maneira completa. O instrumento que Deus usa para isso é a Sua palavra. Acreditar na Sua palavra é acreditar em Jesus. Jesus é liberdade.
Por isso, hoje, no compartimento secreto do seu coração, clame ao Senhor e diga: “A minha alma está apegada ao pó; vivifica-me segundo a Tua palavra.”

Creditos: Pr. Alejandro Bullón fica a dica pra ler ou ouvir mensagens dele: