18 janeiro 2012

Abuso do nome do Senhor

Introdução

- O modo como usamos o nome de uma pessoa revela o que pensamos a respeito dela e o modo como usamos o nome de Deus é um dos mais claros reflexos de sua reputação em nossa cultura.

“Não tomarás em vão o nome do SENHOR, o teu Deus, pois o SENHOR não deixará impune quem tomar o seu nome em vão.”(Êxodo 20.7)

- Falar o nome de Deus em vão é uma prática que rouba as pessoas das bênçãos completas de Deus em suas vidas, e entristece o Espírito Santo. E se torna mais assustador ainda porque é cometido diariamente, geralmente várias vezes no mesmo dia.

Veja o significado do nome Jesus no dicionário:

Jesus: (vulg.) Exclamação. Surpresa, impaciência etc. [2] Nome do fundador da religião cristã em 30d.C.

- O dicionário registra como primeiro uso do nome Jesus o sentido vulgar do termo, uma exclamação que expressa surpresa e impaciência.

- Tomar o nome do Senhor em vão significa: usar o nome de Deus desnecessariamente, gratuitamente, sem razão. E é o que o cristão mais faz na atualidade.

Veja:

- Nosso Deus, eu não acredito no que o governo fez!
- Pelo amor de Deus, pára de gritar, meu filho!
- Nosso Deus do céu, eu não pago este valor, de jeito nenhum!
- Jesus Cristo, mas hoje está muito quente mesmo, né?
- Meu Deus, isso doeu demais!

Atualmente o nome de Deus é usado de várias formas. Vejamos:

I. Afirmações distorcidas


- Por toda a história do mundo pessoas unem o nome de Deus a seus interesses pessoais e a reivindicar o endosso dele para o que fazem.

- Ataques terroristas – Pessoas que planejam e executam ataques terroristas em nome de Deus.

- As Cruzadas – cristãos que mataram milhares de mulçumanos em nome de Deus.

- Por isso, não nos surpreendemos com o fato de que muitas pessoas, observando que uma grande parte da violência no mundo parece estar associada ao nome de Deus, concluem que ele é o responsável por tudo.

II. Afirmações conflitantes

- O nome de Deus é usado em apoio a afirmações tão obviamente contraditórias que um crescente número de pessoas já desistiu por completo da esperança de conhecer a verdade sobre Deus.

- Uma pessoa que não acredita em Deus chegou para um religioso e disse: vocês são todos iguais! Os evangélicos dizem que se eu não crer em Jesus irei para o inferno! Os judeus dizem que, se eu crer em Jesus irei para o inferno. Os católicos dizem que, se eu não crer no papa, irei para o inferno!

- Num mundo de afirmações conflitantes em que tantas pessoas usam o nome de Deus, muitos dizem: “Nem todos estão certos, e talvez ninguém esteja, então seguirei o que me agrada”.

- Esse foi o problema de Pilatos. Os líderes judeus diziam que Jesus havia proferido blasfêmia contra Deus porque afirmava ser seu Filho. Pilatos era um político romano e concluiu que, numa situação dessas, simplesmente não havia jeito de saber quem estava certo.

“Que é a verdade?”, perguntou Pilatos. Ele disse isso e saiu novamente para onde estavam os judeus, e disse: “Não acho nele motivo algum de acusação.” (João 18.38)

- O que uma pessoa comum pode fazer diante das muitas afirmações conflitantes que são feitas para defender o nome de Deus? Como sabermos em quem devemos crer e se, de fato, temos de crer em alguém?

III. Afirmações vazias


- Tomar o nome de Deus em vão também é uma questão interna da igreja.

- Enormes prejuízos têm penalizado a causa de Cristo: Padres pedófilos que pregam em nome de Deus e, contudo, provocam tanta dor e devastação a seres tão vulneráveis!

- De modo também deplorável, muitos casos do uso indevido do nome de Deus se refletem nas igrejas evangélicas em que o comportamento de líderes torna o nome de Cristo profundamente indesejável para muitos.

- Com bastante freqüência, o nome de Deus está vinculado a falsas promessas de saúde e riqueza ou uma vida de satisfação e realizações. O evangelho tem sido empacotado e comercializado num apelo vergonhoso à arrogância e ao egocentrismo dos homens; o resultado é que um grande número de adolescentes e jovens chega a conclusão de que o cristianismo é muito egoísta para ser verdade.

- Quando os cristãos usam o nome de Deus de qualquer forma demonstra que o mesmo não é importante! Se o nome de Deus não tem importância na vida dos cristãos que professam seu amor por ele, como terá na vida daqueles que não o conhecem?

IV. Afirmações presunçosas


- O uso impróprio mais comum do nome de Deus entre os evangélicos é a presunção no modo com que frequentemente fazem declarações com respeito à sua direção, proclamando que “o Senhor me guiou”, ou “o Senhor me disse”.

- Deus pode fazer o que quiser e eu não tenho dúvidas que ele pode falar diretamente com alguém!

- Entretanto, devemos ser cuidadosos quanto ao uso do nome de Deus para endossar nossas próprias idéias, que podem, por sua vez, estarem equivocadas.

- Afirmações que sugerem um caminho direto para o céu, no qual o Todo-Poderoso pessoalmente nos conduz de tal modo que passamos a conhecer a mente de Deus além de todas as sombras de dúvidas, é presunção.

- Isso não quer dizer que não podemos ouvir outros cristãos, mas sim que precisamos observar o que diz a Palavra de Deus (Bíblia) a respeito do assunto.

- O uso do nome de Deus por pessoas com o intuito de confirmar suas próprias idéias é pura exploração e torna-se uma forma de chantagem espiritual. É uma ofensa a Deus e um pecado que ele não considera superficial.

- Aqueles que buscam seguir a Cristo orarão por suas decisões e aplicarão a Palavra de Deus à suas vidas.

(...) para discernirem o que é melhor, a fim de serem puros e irrepreensíveis até o dia de Cristo.(Filipenses 1.10)

- Certamente é mais honroso para Cristo e mais apropriado para o espírito de humildade dizer”quando descrevemos nossas experiências de direcionamento: “Eu creio que o Senhor tem me guiado”, ou “Eu sinto que o Senhor tem me conduzido”.

Com o nome do Senhor não se brinca!

- Deus não se associa com aqueles que tomam o seu nome em vão.

- Então o SENHOR me disse: “É mentira o que os profetas estão profetizando em meu nome. Eu não os enviei nem lhes dei ordem nenhuma, nem falei com eles. Eles estão profetizando para vocês falsas visões, adivinhações inúteis e ilusões de suas próprias mentes”. (Jeremias 14.14)

- Jesus também falou sobre como no último dia ele mesmo se desassociaria pública e permanentemente dos que usaram seu nome de forma indevida!

“Nem todo aquele que me diz: ‘Senhor, Senhor’, entrará no Reino dos céus, mas apenas aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: ‘Senhor, Senhor, não profetizamos em teu nome? Em teu nome não expulsamos demônios e não realizamos muitos milagres?’ Então eu lhes direi claramente: Nunca os conheci. Afastem-se de mim vocês, que praticam o mal! (Mateus 7.21-23)

- Observe como Jesus ressalta que muitas pessoas usarão seu nome para seus próprios fins e que, no último dia, ele as rejeitará.

Exemplo: abrindo uma franquia McDonald’s.

- Você não pode usar o nome McDonald’s para defender seus próprios interesses. Da mesma forma, não pode usar o nome de Deus.

- Não falar o nome de Deus em vão é um princípio imutável.

- O rei Davi chegou até a chamar de ímpias e inimigas e a odiar as pessoas que usam o nome do Senhor em vão.

- Quem dera matasses os ímpios, ó Deus! Afastem-se de mim os assassinos! Porque falam de ti com maldade; em vão rebelam-se contra ti. Acaso não odeio os que te odeiam, SENHOR? E não detesto os que se revoltam contra ti? Tenho por eles ódio implacável! Considero-os inimigos meus! (Salmos 139.19-22)

- Davi reprovava as pessoas que falavam o nome de Deus em vão! E Deus tinha um amor especial por Davi exatamente por atitudes como essa.

- Talvez você esteja pensando: mas isso faz parte da lei do Antigo Testamento, e não vivemos mais debaixo da lei, mas na era da graça, do Novo Testamento.

- É verdade! Mas deixar de usar o nome do Senhor em vão é um princípio imutável, que está relacionado com a natureza de Deus e a forma que devemos interagir com Ele, e não apenas com a Lei de Moisés.

- O próprio Senhor Jesus ensinou repetidas vezes esse mesmo preceito, em seu ministério. Quando ensinou como deveríamos orar, na oração do Pai Nosso, preste atenção no que falou sobre o Pai: “Santificado seja o teu nome”. Você observou que ele disse “o teu nome”? Ele não disse a tua face, a tua presença, o teu caráter, mas sim, o teu nome. O nome de Deus representa tudo que Ele é, a manifestação da sua pessoa. Portanto, deve ser reverenciado de todo nosso coração.

- Há autoridade e poder no nome de Jesus.

- Antes de Jesus terminar seu ministério na terra, e subir aos céus, Ele nos revestiu com autoridade, através do seu nome. Disse que através do seu nome, faríamos obras maiores que as dele, e terminou dizendo:

- E eu farei o que vocês pedirem em meu nome, para que o Pai seja glorificado no Filho. O que vocês pedirem em meu nome, eu farei. (João 14.13-14)

- Usando o nome de Jesus pela razão correta

- O nome de Deus deve ser pronunciado somente quando estamos falando com Ele, ou a respeito dele.

As formas principais que devemos falar com Deus são:

Oração
Súplicas
Ações de graças
Intercessão
Petições
Louvor
Adoração

As formas principais pelas quais devemos falar a respeito de Deus são:

Evangelismo
Ensino da Palavra
Dons espirituais
Pregação
Compartilhando suas bençãos

Conclusão

- Somente quando voltamos a respeitar o nome do Senhor, deixando de usá-lo em vão, é que podemos ter a unção para invocar o seu nome com efeito.

- Deus quer que usemos o seu nome para que realize curas, milagres e libertações. Quando honramos o nome do Senhor com as nossas bocas, deixando de usá-lo em vão, estamos resguardando o poder do Nome para o momento em que precisamos.

- Toda vez que usamos o nome do Senhor para rechear sem necessidade nossa conversa, estamos cometendo o ato de usar o nome do Senhor em vão, e entristecendo a presença do Espírito que habita em nós. Para que isso não aconteça, precisamos reconhecer nosso erro e pedir perdão.
Comece a partir de hoje a mudar, a viver no Espírito com o uso da sua língua.

- Se você tem pronunciado o nome do Senhor em vão, e roubado de si mesmo o poder do Senhor, reconheça isso agora mesmo, peça perdão e a ajuda do Espírito Santo para que não faça mais. Ele ouvirá e, ao ganhar uma nova veneração ao seu nome, você verá uma nova demonstração do poder e presença de Deus na sua vida.

- Por todo este mundo, onde o nome de Deus é blasfemado a cada dia, ele está reunindo salvos que amam e adoram o nome de Jesus. À medida que compreender o amor de Jesus mais profundamente, você crescerá em seu amor por ele.

- Isso dará forma ao modo de você falar a respeito dele, e as pessoas começarão a perceber que ele é muito mais do que um simples nome para você.



AUTOR: Pr. Jônatas Sousa

Nenhum comentário:

Postar um comentário